Vereador Rogerio Castilho encerra o 1º semestre com 202 proposituras apresentadas

15 de julho de 2021


Descrição da Imagem:#PraCegoVer: Vereador Rogerio Castilho discursando na Tribuna da Câmara de Suzano. Ele sua máscara de proteção facial.
Crédito da foto: Câmara de Suzano

Após cumprir seis meses de seu primeiro mandato, o vereador Rogerio Castilho (PSB) fez um balanço de sua atuação no Legislativo. Ele acumulou, no período, a apresentação de 117 indicações, 76 requerimentos, quatro projetos de lei e cinco moções, totalizando 202 proposituras, além de 102 ofícios com solicitações enviados ao Executivo. “Acredito que obtive vitórias, em especial na área da saúde, com dois projetos de lei de minha autoria aprovados, sendo eles sobre o Mês de Conscientização sobre a doença de Parkinson e Prevenção da Violência Doméstica, além de demandas de extrema importância ou urgência atendidas”, afirmou.

Para o parlamentar, os números refletem a busca por soluções para os problemas da nossa cidade. Entre as principais reivindicações, estão pedidos de melhores condições de acessibilidade e circulação nas ruas; estudos para: implantação/construção de creches comunitárias para o Distrito de Palmeiras, nos bairros Jardim Dora e Chácaras Duchen; implantação de feira livre na praça do Baruel, que já estão em andamento; implantação de parque para lazer no Distrito de Palmeiras; implantação de academias ao ar livre no município; instalação de farmácia 24 horas no Pronto-Atendimento e construção de uma nova Unidade Básica de Saúde (UBS) para Palmeiras; implantação/construção de um centro de referência para tratamento de transtornos do espectro autista (TEA), dispondo de tratamento médico especializado como psicoterapia, fonoaudiologia, fisioterapia, terapia ocupacional, psicopedagogia, aos usuários do sistema público de saúde; implantação de farmácia com entrega de medicamentos na residência de pacientes que necessitam de tratamento no Ambulatório de Especialidades; implantação de oficinas com atividades socioeducativas e laborais, com vistas à preparação para o mercado de trabalho aos dependentes químicos (assistidos) e pessoas em situação de rua, recolocação, revitalização e implantação de abrigos de ônibus; implantação de Ecoponto para o descarte consciente de resíduos sólidos, além de ações voltadas à causa animal para o município.

No período, o vereador também participou de reuniões com a Associação Comercial e Empresarial de Suzano (ACE), para apoiar iniciativas que contribuam com o desenvolvimento econômico da cidade. “Como uma de minhas premissas, ofereço o Gabinete Online, via WhatsApp, visando estreitar e agilizar o contato com os munícipes, entendendo, para atender as demandas da melhor maneira possível e estimular a participação dos moradores da cidade nas atividades do Legislativo”, explicou. “Tenho andado pelas ruas e conversado com os nossos munícipes, buscando sempre um elo entre a população, o Legislativo e Executivo”, completou.

Na avaliação de Castilho, ainda há muito trabalho a ser feito: “A ação de fiscalizar os serviços públicos faz parte da minha rotina diária, com visitas a postos de saúde, escolas, obras, ações da causa animal etc. Faço questão de ver de perto como está o andamento dos serviços públicos oferecidos aos nossos munícipes para, assim, fazer uma cobrança aos órgãos competentes quando for preciso. Tudo que encontro fora dos parâmetros que deveriam ser ‘normais’ levo adiante para que a situação seja corrigida”, revela.

O vereador destaca que, nesses primeiros seis meses, honrou o compromisso de trabalhar pelo município e pelos munícipes. “Estou sempre presente em cada sessão ordinária. O vereador tem que apresentar sugestões, fiscalizar e legislar, trabalhar pela cidade e em prol aos munícipes. Tem que estar disponível e ter um mandato transparente, pois a política, quando feita para o bem, muda e melhora a vida das pessoas. Minha trajetória mostra como tem sido meu posicionamento em relação à política, trabalhando com coerência e sensatez, sempre em favor dos munícipes. Vamos entregar uma cidade melhor daqui a quatro anos.”