Vereadores de Suzano votam 29 itens na última sessão ordinária do ano

15 de dezembro de 2016


Mesa diretiva da Câmara durante a última sessão ordinária do ano. Foto: Ricardo Bittner

Mesa diretiva da Câmara durante a última sessão ordinária do ano. Foto: Ricardo Bittner

Os vereadores de Suzano votaram 29 itens na última sessão ordinária da 16ª legislatura (2013-2016), realizada na noite de quarta-feira (14) na Câmara. Além dos 12 itens previstos inicialmente na pauta, outros 17 foram incluídos em regime de urgência.

Entre os principais projetos aprovados está o que altera a redação da Lei do Passe Livre Estudantil. De autoria do vereador Luiz Carlos da Costa, o Pastor Luiz Carlos (PSC), a propositura altera dispositivos na legislação para que as exigências para obtenção do benefício sejam feitas a cada ano e não semestralmente, como é hoje.

Também foi aprovado o projeto de Lei que cria o Cine-Teatro Público de Suzano. O autor da propositura, vereador Walmir Pinto (PDT), explicou na tribuna que a ideia é transformar em um espaço cultural o atual Plenário da Câmara, que será entregue à prefeitura com a inauguração da sede própria do Legislativo nesta sexta (16).

Os vereadores ainda aprovaram projeto de Lei Complementar que altera artigos da legislação que instituiu o Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos da Prefeitura de Suzano. O autor da propositura, vereador Vanderli Ferreira Dourado, o Derli do PT, disse na tribuna que o objetivo é normatizar questões relativas à Guarda Civil do município, possibilitando a ocupação de cargos previstos no estatuto e a realização de concurso interno.

Os parlamentares ainda arquivaram quatro vetos do Executivo. Dois projetos de Lei que entraram em regime de urgência na pauta tiveram a votação prejudicada por falta de quórum.

 

Moções

O assunto mais comentado pelos vereadores na sessão foi a moção de repúdio à Emenda Constitucional (PEC) 287/2016, que tramita no Congresso Nacional e prevê mudanças na seguridade social. O autor da moção, vereador Edirlei Junio Reis, o Professor Edirlei (PSD), explicou na tribuna que o objetivo é que a moção de repúdio seja encaminhada à Câmara e ao Senado Federal, de forma a pressionar os parlamentares. “Esta revisão na Previdência Social vai penalizar quem trabalha, contribui, se desgasta e muitas vezes não chega a usufruir da aposentadoria”, afirmou.

O vereador Luiz Carlos Geraldo, o Professor Luizinho (sem partido), disse que a PEC “está na contramão”. Derli do PT também se manifestou contrariamente à proposta.

Os parlamentares suzanenses ainda votaram uma moção de apelo do vereador Maizena Dunga Vans ao prefeito Paulo Fumio Tokuzumi (PSDB), solicitando providências para eliminar inundações no bairro Miguel Badra Baixo após a retomada das obras da estrada do Preju.

Três moções de aplauso do vereador Walmir Pinto também foram aprovadas. Elas se dirigiam a Sueli Pádua e à Escola Arte Dança Suzano pela realização do espetáculo “Alice no País das Maravilhas e Divertissiment”; aos servidores públicos da Câmara Municipal de Suzano; e ao grupo feminino de corrida de rua Divas Runner’s pelos trabalhos desenvolvidos em benefício da qualidade de vida das mulheres e pela realização dos trabalhos sociais em prol das famílias carentes.

Walmir Pinto também teve aprovado o projeto de Resolução que denomina o Memorial Histórico e Cultural da nova sede da Câmara Municipal de Suzano como “Vereador e Professor Paulo Antônio de Lima Caldas”.

 

Despedida

Alguns vereadores utilizaram o tempo para discussão dos projetos na Tribuna em tom de despedida. “Foi uma experiência gratificante. Fico muito honrado de ter feito parte da história legislativa da nossa cidade”, disse Walmir Pinto, que a partir do ano que vem assumirá o cargo de vice-prefeito do município.

Professor Luizinho ressaltou que, após quatro legislaturas, se despede da Câmara. “Encerro minha carreira de disputa de cargos eletivos e agradeço a cada um dos vereadores e aos funcionários da Casa”, disse.

Bento Moura dos Santos, o Russo (DEM), destacou que “nunca teve divergência” com os colegas parlamentares. Já Derli do PT afirmou que, mesmo sem ocupar uma cadeira como vereador, seguirá na militância política.

Vereadores durante a última sessão ordinária do ano. Foto: Ricardo Bittner

Vereadores durante a última sessão ordinária do ano. Foto: Ricardo Bittner